/*Titulo do Blog*/


Eu acho que a sociedade é adaptavel como a nossa casa é, a nossa famíla teve que se adaptar, a estrutura da nossa casa podê ser adaptada, então por que é tão dificil isso acontecer com a sociedade, predios públicos, escolas, lanchonetes, bares, ônibus e tudo mais, não é tão caro fazer umas rampas e adaptar os banheiros, né? É comum você ir a lugares lindos, mas não adaptados, séria mais lindo se por trás da beleza física do estabelecimento estivesse a humanidade expresso nas rampas, banheiros adaptados e pessoas aptas pra te atender e tornar suas limitações menores, dando a você autonomia pra ir e vir, entrar e sair de forma independente, é isso que diz a nossa constituição, não é?

3 comentários:

ana disse...
29 de janeiro de 2009 13:56

Que bom seria se todos tivesem a consciencia da importacia de colocar em seus estabelicimentos adaptações para portadores de deficiencias.hoje vivo com um cadeirante e vejo, q nao so ele,mas quem estar ao seu lado,a dificuldade de ir e vir.e onde está a nossa lei,quando diz que o ser humano tem o direito de ir e vir.O poder publico precisa colocar em pratica essa lei!vamos cobrar mais!

Ecione Silva disse...
2 de fevereiro de 2009 08:28

A cidade é um local que está em permanente processo de transformação, sendo esse espaço resultado da ação da própria sociedade, que a modifica a todo instante visando atender as suas necessidades. Ela é dinâmica e recriar este ambiente para que todos possam usufruir dos seus variados espaços se torna um grande desafio, principalmente para aquelas pessoas que apresentam algum tipo de deficiência. As pessoas com deficiência têm lutado bastante para terem seus direitos garantidos e serem vistas como pessoas produtivas, cidadãs como todos que habitam o nosso planeta. Existem muitas Leis que defendem os nosos direitos como cidadãos, no entanto, elas não são respeitadas ou são respeitadas por uma minoria. Se essas Leis fossem respeitadas certamente usufruiríamos do espaço urbano em condições de igualdade com as demais pessoas ditas "normais", e aí sim, seríamos vistos sem aquele olhar de piedade que geralmente somos obrigados a presenciar quando tentamos entrar em um ambiente sem acessibilidade e há a necessidade de pedirmos ajuda ou sermos carregados por alguém.Pior do que as barreiras arquitetônicas ou urbanísticas é a barreira cultural, que continua alimentando o preconceito e criando estigmas.
Vamos pensar positivo, continuar lutando por nossos direitos e pelo cumprimento das Leis existentes, pois somente assim conseguiremos atingir uma sociedade inclusiva, onde a nossa deficiência será apenas mais uma de nossas característticas e o nosso direito de ir e vir poderá, enfim, ser praticado sem as atuais dificuldades!!!!

Adequação vs Realidade disse...
3 de fevereiro de 2009 11:40

obrigado pelos comentários feitos por vocês, ana e ecione, foi um prazer ter seus comentários aqui nesse espaço, obrigado e fiquem avontade pra voltar por aqui, rs...